terça-feira, 8 de março de 2011

Sapucainha

Rodolpho Albino Dias da Silva

O povo emprega a polpa do fruto de Sapucainha como peitoral, e os frutos verdes contusos são usados em lavagens para matar insetos nos animais.

As sementes reduzidas a pasta são empregadas externamente contra diversas afecções da pele; o óleo, que delas se extraem, é também muito usado vantajosamente para os mesmos fins.

Dada a identidade da composição química do óleo de sapucainha como o de chaulmoogra, a sua ação terapêutica, logicamente só pode ser a mesma.

Sua ação específica contra o bacilo da lepra realiza-se a custa dos seus ácidos graxos não saturados, isto é, dos ácidos chaulmoogrico e hydnocarpico.Sapucainha

Essa ação, em sua complexidade pode ser desdobrada em três propriedades: ação especifica direta; ação estimulante das lipases sanguíneas; ação imunizantes secundaria, pelo maior poder antigênico dos germes particularmente privado de sua substância céreo-gordurosa protetora.

Formas Farmacêuticas

O óleo de sapucainha em natureza, como o de chaulmoogra, é mal tolerado pelas vias digestivas, provocando frequentemente anorexia, dores gástricas, náuseas e vômitos.

As injeções intramusculares também não são bem toleradas e as endovenosas ocasionam, as vezes, reações de certa gravidade, como acessos de tosse, opressão  respiratória, com acentuada dispneia e cianose, e no fim de algumas horas forte reação térmica.

Os ácidos graxos livres também tem sido empregados por via oral, na dose de 0,5 a 1gr em pílulas. Melhor tolerados são os sais sódicos, (sabões) desses ácidos, por via gástrica, na dose de 0,5 a 1,5grs, em pílulas, comprimidos ou capsulas gelatinosas. Esses sabões também são empregados por via endovenosa em soluto a 3% de citrato de sódio, em injeções espaçadas de 3 a 5 dias, começando-se com 0,2cc. e aumentando-se lenta e progressivamente até a dose máxima de 5 cc.

As injeções intramusculares dos sabões sódicos são dolorosas,provocam empastamento muscular e são de efeitos muito mais lentos do que as injeções endovenosas.

O sabão de cobre dos ácidos totais da sapucainha (Carpotrochato cuprico), preparado pelo farmacêutico Paulo Seabra, em hidrosol coloidal foi empregado por Belmiro Valverde, sendo os seus resultados clínicos confirmados pelas observações do professor Fernando Terra.

A forma mais ativa, porém, é melhor tolerada, são os ésteres etílicos dos ácidos graxos, os quais foram pela primeira vez preparados, entre nós.

2 comentários:

  1. FAVOR ENTRAR EM CONTATO NO EMAIL: andrebighouse@hotmail.com
    TENHO INTERESSE NA COMPRA DO ÓLEO DE SAPUCAINHA E TAMBÉM DO SABÃO. NO AGUARDO E OBRIGADO.

    ResponderExcluir
  2. oii voces vendem o oleo de sapucainha em quantidades ??! email:1984vv@gmail.com

    ResponderExcluir